Caos

Dois muros paralelos erguidos à frente da entrada do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo nos convidam a uma passagem estreita. E inusitada. Cada um deles é construído de centenas de carrinhos de brinquedo, que se amontoam verticalmente, nas cores vermelho, azul, verde, amarelo, cinza, laranja e marrom. Batizada de Caos, a instalação que se compõe dessa dupla de muros, provoca uma sensação claustrofóbica, ainda que as miniaturas de plástico tragam também um aspecto lúdico ao espaço.

Divertido e ao mesmo tempo incômodo, o atravessamento dessa murada pelas vias amplas e belas da entrada do museu constrasta com as paisagens sufocantes do lado da rua. O barulho e o congestionamento contínua na avenida de mão dupla e nos viadutos à frente, cortando a cidade, reverberam nos muros de carrinhos e voltam para nós. Geram inevitavelmente um estranhamento.

Eduardo Srur é um artista com um currículo pleno de experiências importantes e provocativas, que consistentemente nos faz relembrar o descaso com o meio-ambiente, a sujeira que a vida urbana causa nos rios, o lixo acumulado, o peso deixado pelos resíduos. Interessante pensar como ele o faz.

Para completar a obra, o público será convidado a ativá-la. Literalmente, os muros despencarão e, no final da instalação, em dezembro, sobrará um enorme tapete horizontal feito com os carrinhos que cobriam as paredes. Serão brinquedos suficientes para criar um bolsão de estacionamento em miniatura. E tudo será doado.

texto de Katia Canton, curadora do MAC USP

Ficha técnica

4 mil carrinhos de plástico e andaimes
6 x 4 x 3 m

Museu de Arte Contemporânea (MAC USP)
São Paulo, 2018

INTERVENÇÕES